Bem-vindo à BOL. O nosso site usa cookies e outras tecnologias para personalizar a sua experiência e compreender como você e os outros visitantes usam o nosso site.
Para ver uma lista completa das empresas que usam estes cookies e outras tecnologias e nos informar se podem ou não ser utilizadas no seu dispositivo, aceda à nossa página de política de cookies.

Concordo
Distrito Sala
Detalhe Evento
TEP - NÃO DÁ TRABALHO NENHUM

TEP - NÃO DÁ TRABALHO NENHUM

Teatro & Arte | Teatro

Teatro do Campo Alegre

Auditório
Classificação Etária
Maiores de 12 anos
Bilhete Pago
A partir dos 3 anos
2017
abr
07
a
2017
abr
09
Realizado

Duração

60 minutos

Produtor

Circulo de Cultura Teatral - Teatro Experimental do Porto

Breve Introdução

TEATRO EXPERIMENTAL DO PORTO
Não Dá Trabalho Nenhum
(Reposição)

Palco do Auditório Campo Alegre


Num teatro do Porto, um ator está em cena com O Pato Selvagem, de Henrik Ibsen, interpretando a personagem Gregers Werle, um desmedido idealista. Subitamente, a meio de uma cena, sente-se mal e tem, aparentemente, um ataque de ansiedade. Precário, a caminho dos quarenta, com uma dívida crescente à Segurança Social, enredado em trabalhos intermitentes, não resiste à pressão nem ao colapso da "mentira vital" com que vai entretecendo a sua vida - e acaba no divã de um psicólogo.
Não Dá Trabalho Nenhum brinca, precisamente, com a ideia de que o teatro não dá trabalho nenhum. Por um lado, satiriza a ideia de que não dá trabalho nenhum construir espetáculos, que o trabalho dos atores é uma coisa quase lúdica; por outro lado, constata que o teatro também já não dá trabalho nenhum, ou seja, que não dá emprego nenhum. Este espetáculo-consulta visa desmistificar alguns dos lugares comuns, ora romantizados, ora depreciativos, sobre a vida dos artistas de teatro e apresentar, o mais fraternalmente possível, os atores à comunidade com a qual trabalham.

Ficha Artística

Ficha Artística
De: Gonçalo Amorim, João Miguel Mota, Inês Pereira e Rui Pina Coelho
Encenação: Gonçalo Amorim
Interpretação: Inês Pereira e João Miguel Mota
Cenografia e Figurinos: Catarina Barros
Música e Sonoplastia: Pedro João e José Ricardo Nogueira
Apoio Dramatúrgico e de Movimento: Ana Coimbra e Vera Santos
Desenho de Luz: Francisco Tavares Teles
Desenho de Som: Miguel Ângelo Silva

-
Partilhar
ASSINATURA 6